os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







sábado, 16 de agosto de 2008


Tenho na minha memória (que é uma cómoda muito alta e com muitas gavetas) uma gaveta onde guardo os momentos inolvidáveis. Aqueles que mudaram a minha vida, durante os quais senti uma mutação no ser. Instantes, por vezes milésimos de segundo. Em que tudo muda, ainda que seja aí que me sinto permanecer em mim mesma. Afundar-me em mim mesma, num misto de luz negra e luz branca (aquele branco que tudo cega).
A estranheza de sentir-me quando deixo de ser eu.



(foto disponível em http://sitiodasaudade.blogspot.com/2005_09_01_sitiodasaudade_archive.html)

Sem comentários: