os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







quarta-feira, 28 de outubro de 2009

finalmeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeente! quebrou-se o enguiço!



é a minha terceira época enquanto sócia com cativo no SLB e após dois anos em que o manu lindu & emplastro defendiam a tese

«isto antes de teres cativo não acontecia...» [referindo-se aos maus resultados da equipa]

... a tese FOI DERRUBADA! e o «enguiço»  quebrado

é a lócura na Luz! muito cântico, muita onda \o/ , muitas 'ssoas a deslocarem-se à Catedral para aplaudir a equipa gloriosa!

talvez tenha sido  necessário perder os «A» na minha camisola para isto acontecer. mas vá, está a valer MUNTO a pena! a pena, a feathers, o que quiserem

para a coisa ficar PERFEITA só falta o Jorge Jesus ter umas aulas de dicção, bom português, «como falar em público» e afins. e se o Rui Costa [BB para ele] me estiver a «ouvir», que saiba que tem aqui uma sócia com CAP revalidadíssimo e experiência formativa para colaborar na equipa [e entrar no balneário e assim...]

dá-me uma tampa que eu gosto!


missão tampinhas! pumba, catrapumba lá foram elas!
obrigada a todos os que me dão tampas :)

Caim é aquele SINHOR?



terça-feira, 27 de outubro de 2009

#COISASBOAS


obrigada a todos! assim do fundo do coração...

domingo, 25 de outubro de 2009

sabia que TUdo iria(s) acabar

já tem o seu pack heresia? não perca, numa fnac perto de si!


e as palavras? essas guardo-as comigo



para me lembrar de que a efemeridade está aí. no que dizes, nas «promessas» em que o verbo prometer esteve subtilmente presente... mas sem estar! mas vou recordar as palavras, imediatamente a seguir ao momento em que vou limpar a última lágrima caída. lembro-me (mais uma vez) da Alice no País das Maravilhas e desejo beber do chá que me irá tornar maior do que a pequenez que me fizeste sentir que eu  era.

PUMBA!


sábado, 24 de outubro de 2009

porque há Momentos que mArcam, oNde o coração e a alma se encontram a nU


Nem há muito tempo assinalavas a tua entrada na tropa. Já passaram tantos anos? - perguntei a mim mesma! E já passaram uns quantos, é verdade.

Parece que tudo é efémero e se desvanece em segundos, mas a amizade ainda me parece ser o sentimento mais sólido, que resiste à chuva e aos dias de sequeiro. E fica sempre de pé!

Quando fizeste 33 anos, «alguém» te preparou uma surpresa. E colocou em marcha um plano de «ataque» à tua caixa de correio :)
Foi fantástica a resposta dos TEUS amigos, que te sabiam nas vésperas de um momento difícil: a segunda operação ao joelho mai linduh e peluduh!

E houve quem procedesse em conformidade e entre os amigos que tens, que trazes contigo nas memórias dos mais diversos sítios por onde passaste, os camaradas que sabem porque é que os passarinhos cantam não deixaram de marcar presença. Aliás, não fazia sentido se assim não fosse.

Ainda há dias, falando com um páraquedista,  contava-me, com os olhos emocionados, dos laços que se constroiem naquele ambiente, no curso que cada um guarda na lembrança e que para cada um de vós será sempre «O» curso.

Esta semana os meus olhos conduziram-me para as palavras de um dos teus camaradas. Palavras endereçadas a propósito do teu aniversário.

A verdade é que eu não sei porque é que os passarinhos cantam. Mas esta é a minha verdade: Lico, por outros motivos que só eu sei e por coisas cá muito minhas, também tenho saudades de acordar ao lado do Sousa Vader!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

[que venha a chuva]

Joan As Police Woman - To Be Loved

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

agenda de cão-sertos


Blasted M @ Coliseu dos Recreios

NAMASTÉ :)

[fuga]

As horas passam e as respostas provam a sua ausência. Mais uma vez. Sim, que esta história já eu conheço de trás para a frente.

Às vezes chego a pensar que vivo mesmo ao contrário, de trás para a frente; sentindo a partida primeiro do que  momento da chegada. Sabem, aquele momento em que as coisas acontecem e nos deveríamos começar a sentir gratos pelas coisas.



Há dias definiram-me como alguém que pratica a fuga para a frente. Não posso, só uma vez, fugir para trás?

guess who's back?



sábado, 17 de outubro de 2009

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

porque é que gosto de Lisboa?



porque os meus pés pisam lugares a preto e branco



porque há momentos YAMMY



porque há momentos para o alternativo, o diferente e para treinar o japonês (ou não)!



porque me arrisco a encontrar o @joebest66 por lá



porque há sempre alguém que nos dá música! [e bolas de sabão XXXL]



[bem, estes rapazes eu AINDA não encontrei em Lisboa...]



porque piso lugares onde Amália faz sentido!



porque encontro castanhas assadas em pleno VERÃO!



porque os haiku ganham forma!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

«as pessoas de quem gosto
são aquelas que nunca acabam»

[Almada Negreiros]



imagem DAQUI

eu e a minha ervilha



ultrapassámos os 100 000 km!
UM DIA vou lavar o meu carro :)

domingo, 11 de outubro de 2009

um dia cheio de #coisasboas e AMORosas!



no restaurante O Côdea partilhámos inquietações filosóficas e projectámos um primeiro CaipiFilosófico, em AMOR!



e só nos calámos perante visão do almoço, originalmente servido e apresentado na cesta!



à noite, as conversas foram outras! e as partilhas assumiram a forma de LASSI!


e tudo tinha um sabor a ÍNDIA!



e quando os copos se esvaziaram, nem por isso as conversas terminaram!



abatanado & gelado de lima para embalar o regresso a casa, após um dia em cheio!
gosto de coisas boas, de gente boa e que partilha da fé nos meus projectos, que não páram, que acreditam que o caminho para Ítaca é para se fazer caminhando!


Se partires um dia rumo a Ítaca
Faz votos que o caminho seja longo
repleto de aventuras, repleto de saber.

(Constantino Kabvafis)

sábado, 10 de outubro de 2009

Má Educação, de Almodovar



indispensável
a minha vénia ao rapaz da foto, Gael Garcia Bernal, que para além de ser giro que dói, me surpreende em cada personagem

PAGABÉNS, MANO GIGO!

Hoje é dia de Santo Tirso [ler com sotaque do Norte, sim?] se erguer e parabenizar o homem-giro-que-dói-e-que-rabisca-ssoas-como-ninguém aka @guitattoo.



Para saber como é que eu me tornei irmã do Gui, leiam aqui.

Para saber sobre o seu trabalho, leiam aqui.




E podem inundá-lo de comentários e felicitações, porque o moço efectivamente merece, pela simpatia e bom humor que a sua presença transborda.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

#mumyadayada



já falei uma vez sobre os acasos, a propósito do Twitter. sim, sou uma fã acérrima desta plataforma de comunicação e não dispenso uma visita diária aos amigos que por lá se passeiam.
por causa do Twitter, revelei-me como DJ.
por causa do Twitter, ganhei uma mãe e um irmão [giro que dói] e com eles tenho partilhado uma conversa de loucos [saudáveis] que relatam o dia a dia de uma família constituída por um filho que rabisca 'ssoas, uma mãe que escreve livros e uma filha que faz tantas coisas [that's me]

sigam-nos no Twitter:  #mumyadayada

[foto tirada no Peter's, no momento em que esta família se conheceu e abraçou pela primeira vez]

terça-feira, 6 de outubro de 2009

it's 'licious. kooka licious!


http://kooka.wordpress.com/

HOJE, ainda. Amália, sempre.

Ainda estão presentes os ecos do concerto de ontem, pelo projecto HOJE.


Se a importância ou o valor da «nossa» Amália são inquestionáveis, a roupagem que os Hoje deram à sua música já não assume essa inquestionabilidade. Muitas têm sido as vozes que se têm insurgido contra a forma ligeira e pop com que os poemas outrora cantados por Amália foram reinventados pelo projecto liderado por Nuno Gonçalves. Mas a julgar pelo êxito de vendas do cd, pelos concertos sempre esgotados, calculo que também sejam imensas as vozes que se rendem aos Hoje.

Eu rendi-me desde o primeiro dia. Não recordo exactamente o momento, mas sei que antes de reconhecer os Hoje, reconheci a voz da Sónia Tavares na Gaivota. E disse: hummm mas isto é um fado da Amália!


Daí à descoberta do projecto, foi um passo. E daí à compra dos bilhetes para o concerto de 5 de Outubro foi outro passo.

Confesso que Nuno Gonçalves é para mim uma garantia de qualidade, em termos musicais. E as pessoas de quem ele se rodeou para este projecto foram «escolhidas» a dedo.

O concerto abriu com um inédito e o alinhamento foi perfeito, numa noite onde as surpresas espreitavam a todo o momento. Arrepiante foi o momento em que é projectado um ensaio de Amália com Alain Oulman, de um tema de seu nome Soledad. Que lindeza tamanha. A conversa sobre a Verdade daquilo que era Amália e daquilo que ela fazia em palco. Arrepiante e de embaciar a vista.


Hoje ouvi Amália, numa entrevista dada algures nos anos 90, a dizer que não era lutadora. Que tinha tido aquele destino e que as pessoas lhe tinham dado oportunidades e lhe tinham aberto portas. Enganas-te Amália. Talvez de forma inconsciente, lutaste pela saudade, pelo fatum que é nosso, assumindo uma estranha forma de vida e sendo fiel à Verdade que eras.


Já basta saber
Que há em nós a saudade a doer
Se afinal recordar é sofrer
Rasga o passado

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

HOJE. Amália.



Ainda bem que um dia vieste sussurrar-me o Barco Negro ao ouvido, para me lembrar que não era a única que sofria com a distância de alguém que está perto e longe ao mesmo tempo.
Ainda bem que foste intuição de uma ponta à outra e mostraste que SER FADO é simplesmente ser, amar, estar, cantar, sofrer, partir e regressar.
Ainda bem.



‘Inda bem que o tempo passou


e o amor que acabou não saiu.


‘Inda bem que há um fado qualquer


que diz tudo o que a vida não diz.


Ainda bem que Lisboa não é


a cidade perfeita p’ra nós.


Ainda bem que há um beco qualquer


que dá eco a quem nunca tem voz.


‘Inda agora vi a louca sozinha a cantar,


do alto daquela janela.


Há noites em que a saudade me deixa a pensar:


Um dia juntar-me a ela.


Um dia cantar…


como ela.

‘Inda bem que eu nunca fui capaz


de encontrar a viela a seguir.


‘Inda bem que o Tejo é lilás


e os peixes não param de rir.


Ainda bem que o teu corpo não quer


embarcar na tormenta do réu.


Ainda bem se o destino quiser


esta trágica historia, sou eu.


‘Inda agora vi a louca sozinha a cantar,


do alto daquela janela.


Há noites em que a saudade me deixa a pensar:


Um dia juntar-me a ela.


Um dia cantar…


como ela.



foto de Amália retirada daqui

2



Santiaguices, Bôs que são Susanas Amadores, Biaus que se tornam Uãos, sopa de borrego que se abandona (pfff), bolachas de chocolate que se provam, barris de SB...

...CRESCER contigo, Santiaguxo, é FIXE!

*

domingo, 4 de outubro de 2009

eis a minha definição de YAMMY


esconde, esconde!



é do alto dos meus altos sapatos altos que me sinto pequena e encolhida, perante a lindeza tamanha de ser que se me é apresentada
é do alto desta minha pequenez que procuro o equilíbrio que tenho vindo a ignorar, como se fosse só mais um adereço absolutamente (in)dispensável
escondo-me daquilo que és, que revela uma parte de mim que vai existindo
é do alto da minha fragilidade que faço votos para que um dia o jogo acabe e possa esconder-me nos teus braços

há 3 anos foi assim !




depois foi assim...


e assim!



:) falta um bocadinho!
QUASI QUASI !