os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







terça-feira, 19 de outubro de 2010

TU!

Ouvi falar de um tal Daniel de Sá Nogueira, em conversas sobre formação e desenvolvimento pessoal. Fui ao you tube e encontrei um vídeo em que o moço explicava, de uma forma muito teatral, a forma como nós arrastamos os problemas e as coisas para cima de nós: ele vai agarrando uma cadeira, e outra e outra, até não conseguir ter mais cadeiras nas mãos.


Achei curioso; nunca tinha visto um português com este tipo de atitude, no âmbito da formação e desenvolvimento pessoal.

A curiosidade aumentou quando soube que no dia 10.10.10 iria haver um evento no Pavilhão Atlântico. Confesso, fui arrastada para o evento, a 5 dias do mesmo. Comprei bilhete e pela primeira vez dei-me conta que, no pavilhão Atlântico, os piores lugares (balcão 2) eram os mais caros. Estranho. Nos concertos é precisamente o inverso. Mas enfim, vamos lá a isso.

O evento denominava-se TRATA A VIDA POR TU GAL e isso explica as inúmeras bandeiras de Portugal e cachecóis com que fui surpreendida a chegar à Expo. Por momentos pensei que a Selecção fosse jogar. Mas não, era o Daniel e a sua equipa.

Houve coisas muito positivas, como o facto de se poder dançar! YEAH!

O pacote deixado nos lugares prometia uma noite com algumas surpresas, dinamismo e com 10 mandamentos pelo meio.



Gostei

- que finalmente alguém tivesse a coragem de encher um Pavilhão Atlântico para organizar um evento de desenvolvimento pessoal;
- da dose de loucura que caracteriza o Daniel.



Não gostei

- do som, que falhou algumas vezes durante o espectáculo, tendo levado ao abandono da sala por parte de algumas pessoas;
- do facto de não se ter cumprido com as horas de começo e término do espectáculo (o Daniel precisa de tratar o relógio por tu!).



Quanto ao conteúdo, confesso que não ouvi nada de novo. Mas nestas coisas do desenvolvimento pessoal é assim mesmo: não estamos todos ao mesmo nível e o desenvolvimento é sempre PESSOAL, ainda que seja suposto vivê-lo sob a forma de  ajuntamentos e encontros.

Sem comentários: