os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







sábado, 11 de dezembro de 2010

é só para deixar um beijinho bom às 'ssoas dos CTT!

No dia 16 de Agosto enviei uma encomenda, registada, via CTT para um campo militar cujo código postal era XXXXXX - GERMANY

Dada a estranheza da morada, a funcionária perguntou: os dados estão todos certos? E eu: sim, isso vai para um campo militar e destina-se a um militar português no Afeganistão.
Era suposto aquela encomenda ser uma surpresa para o nosso menino fardado e por isso nada comentámos com ele. Até que começámos a achar tempo demais, tendo em conta experiências passadas de envio para aquela morada.
Ás tantas desvendámos a surpresa ao D. e pedimos que averiguasse se não havia uma encomenda para ele. Nada.

No dia 21 de Setembro resolvi reclamar junto dos CTT. Levei o comprovativo do registo e indaguei sobre a localização da encomenda. Na altura disseram-me que tinha sido despachada para o Paquistão. Acontece que o nosso militar regressava dentro de dias.

«Olhe, mas eu gostaria que a encomenda fosse devolvida. É que o destinatário vai regressar!»

«Não se preocupe, dentro de 5 dias contactam consigo e depois a senhora dirá o que pretende que seja feito.» - foi a resposta da funcionária dos CTT.

Aguardei os cinco dias. Enviei e-mail para as reclamações. Disseram-me que o prazo máximo de resolução para estes casos (expedição internacional) era de sessenta dias.

No dia 21 de Novembro passaram 60 dias. Enviei e-mail. Aguardei. No dia 23 de Novembro resolvi ligar para o apoio ao cliente. Depois de muitas explicações, a senhora lá compreendeu o motivo do meu telefonema. Mas não me deu solução.
Resolvi reclamar através do e-mail. No dia 25 de Novembro solicitaram que enviasse os comprovativos do registo efectuado. Enviei. E aguardei. Esperar é uma virtude. Mas no dia 06 de Dezembro considerei que já tinha atingido um certo estado virtuoso e liguei para o apoio a cliente. Repeti a história 3x, pois a chamada caiu nas duas primeiras tentativas de contacto. Disseram-me que não podiam fazer nada, que tinha que aguardar contacto por parte da funcionária que me pediu os comprovativos do registo.

Voltei a enviar e-mail. Recebi a resposta «chapa sete»: Lamentamos o sucedido mas o seu assunto já foi encaminhado para a área competente.

O próximo passo é deslocar-me até uma estação dos CTT e pedir o Livro de Reclamações. Ah! E enviar e-mails diários a solicitar uma solução para o problema.

E ainda há a hipótese de colocar a DECO em campo.

O certo é que o militar voltou, e a t shirt por lá ficou! Sendo o «lá» um destino incerto, algures no Paquistão!


Sem comentários: