os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







terça-feira, 25 de janeiro de 2011

qualquer-coisa-cort. chá quente. aguardar fumo branco de Sevilha.


«ozanos» que as bronquites não me batiam à porta. enfim, há coisas piores.
siga a dança, o pijama, a manta... e já que estou de molho, olho ansiosamente para o e-mail, à espera que Sevilha se manifeste acerca do meu projecto de #thesis. e nada.
encolho os ombros, abro o tweetdeck e deparo-me com isto:


mas o que é isto? ao que consta, este texto foi apresentado aos alunos desta Escola,
tendo sido utilizado sem qualquer adaptação do mesmo:

 «[a] questão reside no facto do(a) professor(a) que utilizou a ficha criada por si, não a ter adaptado ao contexto português de Portugal. Isto porque, o AO ainda não vigora, e para vigorar no ensino em Portugal por certo que existem (ou existirão) directivas para a preparação não só dos professores, mas também de como a transição (que espero que não aconteça) será transmitida aos alunos.»



AO à parte, o texto é utilizado com falta de bom senso! e a Edite Estrela (com quem aprendi muito quando era mais nova!) concorda comigo (ou eu com ela):


eu não concordo com o AO. mas isso... são coisas minhas!
e não gosto de ver um texto com sintaxe e ortografia diferentes daquela que se usa na nossa língua (ou se preferirem em Portugal), utilizadas num teste apresentado a alunos do 5º ano sem (aparente) contextualização.
a conversa no twitter prosseguiu. hilariante (ou será ilariante?).
conceitos como «língua internacional» e coisas como «o dialecto de Lisboa é imposto» vieram à baila. os hs mudos. enfim.

o dialecto de Lisboa.

bom, vou ali ao e-mail ver se há novidades de Sevilha e embrulhar-me nas mantas. valha-me o São Symbicort!

1 comentário:

João Bizarro disse...

Espectacular!!!

Com "c" antes do "t"