os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

jantar das 3 e 1/4. com convidados especiais


3 miúdas giras + 1/4 de miúda-gira-to-be.
sumo de bués de vitamninas e salada (porque nós é 'ssoas saudáveis!)
conversê do bom e tempo ainda para apreciar o Matt Damon de bigode.
 e o Josh Brolin? oh deuses! o Josh...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

tic tac. tic tac.


aiii! que asfixia... o moço ali preso na'rochas! deuses. e saber que se tratou de uma história real agudiza ainda mais o sentimento e a vontade de gritar: «OH RAPAZ NÃO VÁS POR AÍ».
mas ele foi. e parece que não foi o facto de estar 127 horas preso num canyon que alterou a vontade de viver do Aron. libertou-se, à custa da perda de um braço, subiu, desceu, correu, bebeu água. e encontrou ajuda. e hoje tem uma família. e continua a «alpinizar» por aí.

a fotografia possível de um ser canino em movimento

Farrusco!

sábado, 26 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

como é que se explica isto?

[como é que se explica ao sangue do meu sangue que o sangue do sangue dele «faz de Bambe» nas aulas de body combat? hum?]

e fiz de bambi ontem
há lá uma parte panisgas
em que a gente simula q tem um arco e uma flecha
eu não gosto de fazer isso
então faço de bambe
para eles terem um alvo

com orelhitas
a passear pela floresta

er...
pronto
eu não digo a ninguém que me conheces

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

é disto que eu gosto.


de levar comigo os amigos do c'ressão para todó lado. de levar os «meus meninos» e de apresentar as suas filosofices um pouco por todo o mundo (sim. acho que Portugal não é suficientemente grande para mim).

e como se vê, também gosto de aparecer despenteada nestas coisas das fotografias e das reportagens da tovisão. é uma marca registada, vá!

do pensar ao fazer foi um «instante». e organizei, em colaboração com a C. um Encontro de Filosofia para Crianças e Criatividade. porque nós é 'ssoas da acção. e isso dá-me um gozo daqueles muito enorme.

obrigada a todos os que me ajudaram na organização. e também àqueles que acompanharam o evento via facebook e twitter, graças ao apoio técnico do Mário.

yOu rUle :)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

apanhada.


mas assim de um dos lados. raios!

tweet de ouro. quem. eu?

«Eles estão no Twitter logo que se levantam, ao pequeno almoça, no trânsito, no trabalho, no coffee Break, ao almoço, ao jantar, ao serão e ao deitar. Eles têm milhares de tweets, imensos followers, carradas de friends, em suma são os maiores do Timeline.»

«eles» também sou eu. ora, ide espreitar aqui. e votai, minha gente. votai.

(que honra. eu, lado a lado, com estas 'ssoas!)

pedaço nº 1501

aqui desta vossa superfície comercial.
ora digam lá... o que vos traz aqui?

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

5, 7 minutos.

2011 será o ano em que regresso ao voluntariado, depois de uma breve experiência numa instituição com a qual não me identifiquei. Sim, por vezes as instituições com uma imagem forte, são fracas e débeis na sua estrutura.

Mas o «bichinho» do voluntariado ficou adormecido, à espera da oportunidade certa.
Há algumas semanas contactei uma instituição para saber da possibilidade de me tornar voluntária. Enviei um e-mail e na resposta indicavam a necessidade de agendar uma entrevista. E assim foi. No dia e hora marcados (confesso, cheguei 9 minutos atrasada, pois não encontrava a rua!) lá estava eu. Anunciei-me e pediram-me que aguardasse. E eu esperei. Pouco tempo depois, chegou outra rapariga, que se sentou na sala de espera, ao meu lado. E esperámos as duas.

20 minutos depois, lá desceu a senhora que ia conduzir a entrevista, pedindo para aguardarmos numa sala. E nós entrámos.

- Boa tarde. Então já sei que querem desenvolver voluntariado connosco. Podem dizer-me porque é que escolheram esta instituição?

E diz a outra rapariga:

- Er… bom, eu venho mesmo para uma reunião sobre a visita de estudo…

E foi ali que eu percebi que a senhora não sabia com quem ia reunir, ou seja, nem os nossos nomes sabia, para além de não saber a que horas tinha marcado a entrevista comigo (eu pedi desculpas pelo meu atraso e acho que ela nem deu conta!).

A senhora da visita de estudo saiu da sala, a pedido da senhora da instituição.

- Então, diga-me porque escolheu a nossa instituição?

A minha resposta foi breve: conheço uma voluntária que está cá, tenho vontade de fazer voluntariado e pensei que talvez fosse uma boa ideia, uma vez que acompanho o trabalho dessa voluntária.

Perguntou-me pela minha disponibilidade. «Pós-laboral», respondi. E então foi-me dito que as acções desse horário se desenrolavam desta e daquela maneira. Ah! E que não tinha vagas. Mas que podia preencher um formulário e aguardar o contacto para uma acção de experiência e um curso inicial. Tudo isto, sem saber quando haverá vagas, claro.

E eu preenchi o papel. Deixei o campo da empresa «traçado».

- Não está a trabalhar? – perguntou-me
- Estou.
- E não indica o nome da empresa?
- Não.

Adeus e até breve.

Passaram 5, 7 minutos. Sim. A minha entrevista demorou 7 minutos. Eu desloquei-me da minha aldeia, fui de carro, de metro e a pé. Fiz um percurso de 39 minutos para uma entrevista de 7 minutos, cuja informação me poderia ter sido enviada por e-mail. E outros 39 minutos para regressar.

«Obrigada, Joana, mas neste momento não temos vagas. Podes preencher o formulário e devolver e assim que tivermos vagas, contactamos.» - isto teria bastado. Porquê? Porque não gosto de perder tempo. É-me muito precioso, tendo em conta as inúmeras actividades nas quais estou envolvida.

O que me motiva no voluntariado não é o facto de ter muito tempo livre e não saber o que fazer com ele. É a vontade de colaborar num projecto, comprometendo-me com uma instituição com a qual me identifique. Ou seja, sinto que neste processo todo, a instituição me fez perder tempo desnecessariamente. Podiam dizer: ah pretendiam que conhecesses as instalações. Pois, nem sequer isso aconteceu.

Não percebi o motivo da entrevista. Para me conhecer melhor? Não me parece, uma vez que o formulário só solicitava informação básica, nem sequer me foi perguntado se tinha experiência de voluntariado. O importante é saber para que empresa trabalho? Er…

Com tudo isto, estou em busca de outra instituição. Não significa que não vá voltar a esta. Significa, sim, que até considero ser um bom sinal que não haja vagas para voluntariado: há muita gente disposta a dar o seu tempo para ajudar os outros.

E é isso que eu vou fazer.

jantar das divorciadas, solteiras & felizes


homens? só foram chamados para a conversa. tipo... all the time!


comidinha boa: daquela que enche a alma, fica 30 segundos na boca e dura uma eternidade nas ancas. ah poizé!


por estas é por outras é que a frase da noite foi «bebe, amiga, bebe


mais um contributo para as nosssas ancas. obrigada, camembert, 'tás cá dentro (mas de uma forma extraordinariamente literal...)



conversa, espinafres, desabafos, partilhas, bacalhau, atum, soja, massa, vinho, água e um Moet qualquer coisa, original, que custou apenas 30 euros...


pudim nouvelle cuisine... coisas chiques, dignas da Quinta de Mós Ká Vide!


e um café. um café e um ponto final na conversa.

jantar de 4 + 1.
de tesourinhos deprimentes que só nos animam e dão cor.
obrigada, meninas.
por me acolherem na vossa LÓCURA durante uma noite.
beijinnhos (bons, claro!)


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

wanna be my valentine?


perguntei, hoje, a meia dúzia de 'ssoas se queriam ser o meu valentino.
as respostas foram diversas:

«não tens mesmo outra opção?»

«o teu valentino trabalha hoje à noite»

«em que posição me encontro na lista dos candidatos?»

«Valentina? Torres?»

«nop»

«u know I love you»

e a minha vida é isto:
pleno de valentinos e valentinas,
que dançam e cozinham coisas com caril. 

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Quinta das Amizades


parabéns, Tité. we <3 u !

a magia da rádio


E lá fui eu à Prova Oral, com a Ana, falar de filosofia para crianças e criatividade. Sim, sabia ao que ia, pois sou ouvinte habitual da Prova Oral e gosto do estilo informal e do «caos» que se instala com as intervenções do Alvim e das pessoas que ligam para falar.

Gosto sobretudo da variedade de temas que por lá passa e da forma como dão voz aos conhecidos e aos desconhecidos.

Já lá tinha estado em 2006 ou 2007, para falar dos seis chapéus do pensamento, com o Alvim e a Marisa Jamaica. Desta vez, tive a companhia da Xana Alves e levei comigo a Ana Dominguez, com quem partilho o projecto de filosofia e criatividade.

A conversa teve de tudo um pouco: o amor, o espanto, as perguntas, as respostas, o brincar, o aprender… foi interessante ouvirmos como é que a Ana utiliza o twitter em sala de aula, abrindo as portas do mundo das crianças da #sala3.

O motivo da presença na Prova Oral é um evento denominado Sentir Pensamentos
Pensar Sentidos, que vai ter lugar no Colégio D. José I, em Aveiro. Trata-se de um encontro que surgiu da ideia partilhada de duas pessoas que se sentaram à frente de um computador, algures em Coimbra e disseram: «em 2011 vamos organizar um encontro de filosofia.» E do pensar à acção foi um instante e é com muito prazer que contamos com convidados como o Tomás Magalhães Carneiro e a Dina Mendonça para dar forma a uma manhã de comunicações direccionadas para pais, educadores e professores. O evento tem entrada livre e já temos a lotação da sala esgotada desde há algumas semanas. Todas as pessoas desta equipa, desde o designer do flyer aos comunicadores, participam de forma voluntária e com imensa vontade de partilhar o seu saber. É algo que tenho que assinalar, esta participação pro bono, pois esta ideia surgiu sem qualquer tipo de orçamento a suportá-la e acabámos por receber apoios de índole não monetária. Em tempos de crise, consideramos que o «saldo» é muito positivo. E a presença da Prova Oral também contribuiu para a «positividade» do saldo.

E agora? Agora é tempo dos últimos preparativos para o Encontro, para que nada falhe ou falte a quem vai estar presente.

O press release do Encontro pode ser lido aqui. E sim, podem partilhá-lo com quem entenderem. Podem, ainda, visitar as facebook pages Filosofia e Criatividade e Sentir Pensamentos | Pensar Sentidos e acompanhar, no twitter, através das contas @pensarcriarser ou @joanarssousa.



[no dia 07 de Fevereiro fui aos tops do twitter! - para quem não sabe, eu sou conhecida como Purzi, lá na aldeia do passarinho azul. thanks guys!]


[notem como o meu Arturinho esteve tão atento e captou a essência da coisa!]

dos dias compridos. e cheios de #coisasboas


que começam em PINK!


e continuam em PINK...


e terminam com PINK em pano de fundo

sábado, 12 de fevereiro de 2011

a culpa é do Urano. juro!


Fevereiro é o mês de Aquário. e Aquário é o último ar do zodíaco. e Urano é o seu planeta.
para fazer pam-pam nada como umas nels azuis!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Missão 1,84mt & conguitos


[à data da redacção deste post, a missão encontrava-se em preparação.
bolo com um Alescsepe, velas e conguitos a rodos!]


[porque há 'ssoas que merecem tudo. e isso inclui que eu
lambuse os dedos a decorar um bolo fresquíssimo com conguitos]

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

quem diria...




que tudo começou assim. hein?


e que agora a coisa está de tal forma que até temos coisas publicadas na'revistas. hum?

#manuslindusaencantardesdemilnoveenoventaenove


eu e a minha capacidade para escolher uma caixa no supermercado


já me tinha acontecido escolher a caixa onde acaba o rolo, ou mesmo aquela onde alguém leva um artigo sem código de barras... mas esta ainda não me tinha acontecido: a senhora que estava à minha frente resolve pagar as compras do mês com moedas. quando a moça da caixa diz «são 60,50», a cliente tira um saco de plástico do interior da sua «poncheta» e coloca à frente da moça, dizendo: «conte».
a moça da caixa contou. deu ordem àquele amontoado anárquico de moedas de todas as qualidades e feitios, enquanto eu e outras pessoas esperavamos na fila. sim, moedas = dinheiro. a cliente pode perfeitamente pagar em moedas. mas poderia pensar no trabalho das pessoas da caixa e separar as moedas? ou passar num café para trocar as ditas cujas? poderia, ao menos, saber quanto é que levava em moedas para facilitar a vida da funcionária.

o momento ouro sobre azul dá-se quando a moça diz: «tem aqui 56 euros» e a cliente saca do cartão de débito para pagar a diferença. exacto, esta senhora tem conta no banco e também poderia ter ido ao seu balcão trocar as moedas. enfim.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

72 horas, «sonzinhos» e «copicas-meio-meio»


aprendo sempre qualquer coisa no cinema. então com certas e determinadas companhias... é toda uma sinfonia de sons que nem vos passa p'la ideia.

e o filme? pois bem. aprovado. emocionante, com acção, argumento de qualidade e um Russel Crowe impecável. um bocadito anafado (aiiii o que eu suspirei por ele no Gladiador... de saias!). mas pronto, eu trazia-se-li-o para casa e dava-lhe uma ou duas chávenas de chá verde.




terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

eu sou uma besta

Eu, a besta, a falar com o senhor da operadora telefónica que pretendia saber o que eu achava do atendimento do apoio ao cliente:




senhor da operadora telefónica: «como é que se sente antes de ligar para o apoio tmn? hipóteses: confiante, receosa, apreensiva,...»

e eu: ora bem. é só uma chamada telefónica. não estou propriamente à espera que me nasça um filho.

a @pintolaranja quer ir ao Pólo Norte. 'bora dar-lhe um empurrão?



«There is no such thing as "The Journey of My Life". Nor do I believe there will ever be, as their beauty relies in the contrasts and differences. Each one shows unique aspects of this whole hearted planet in need to be loved, in desperate struggle against destruction. But to Embrace the North Pole peacefulness, the silence, rough nature in its most pure state, ambrosia for one’s soul... this is definitively a once in a lifetime experience!

In the end... there is only so much I can tell, as words are not even close to enough when it comes to explain what this experience means to me as a human being.

From my heart echoes the deep desire to follow this quest. From yours, the good will to let me go.»
 
Votem na Susana. Onde? AQUI!
 
 

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O negro que há em nós

O que é a perfeição? E o que é a perfeição para uma bailarina que se quer leve, frágil, sensual, metódica, louca - ao mesmo tempo?
Black Swan começa e termina com uma intensidade impressionante. Os actores são brilhantes, mas mais brilhante é Darren Aronofsky que imprime ao argumento uma dinâmica profunda de sentimentos opostos e simultâneos.

E mais não digo. O filme é surpreendente e aconselho, cada um de vós, a deixar-se surpreender.
 
 

domingo, 6 de fevereiro de 2011

um pin por dia! e um iPlik :)


um. pin. por. dia. GOSTO!


e o iPlik? ah poizé! Visitem: http://www.umpinpordia.blogspot.com/

sábado, 5 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

o que é realmente importante nesta imagem?

[e-mails trocados com o manu lindu]

lady B: O javi tem uma maori no pulso
manu lindu: o mais importante desta capa é mesmo a maori no pulso do Javi

from @thingsvforget


thank you so much, post it guy!
<3 it

I need only a second to be sure



que tu és real e não me vais abandonar assim num estalar de dedos. que vais ficar por aqui, segurando-me a mão e acalentando a alma.
mas se no primeiro segundo tenho a certeza que tu és real, no segundo seguinte sei que nada disto é possível.
maybe I'll meet a dark tall stranger. ou um tall dark stranger.
mas tenho cá as minhas certezas que gostava de te conhecer a ti, noutra vida, quem sabe.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Do valor das coisas

As coisas têm o valor que nós lhes atribuímos. O facto de terem um preço atribuído não significa que aquele seja o preço que eu dou àquela coisa. E nessas coisas não vale a pena discutir muito, pois as prioridades de cada um são… as prioridades de cada um. Há quem dê 700 eur por uma mala de mão, há quem tenha 700 eur por mês para gerir uma casa. Há quem gaste 150 eur num par de botas que duram 10 anos e há quem gaste o dobro desse valor em botas, durante 5 anos. E aquele que se queixam que a vida está difícil e tomam o pequeno-almoço fora todos os dias? Que teorizam sobre formas de poupança mas não abdicam do tabaco?


Sim, são questões relacionadas com as prioridades de cada um. Que se relacionam, ainda, com a facilidade com que se cede ao consumismo e a uma tentação denominada cartão de crédito. Entra aqui em jogo a dicotomia aparência/verdade. A questão da imagem que se projecta e do estilo de vida que é adoptado.

Eu observo e teço os meus comentários – sempre à luz da minha tabela de prioridades. Respeito as decisões dos outros, partindo do princípio de que cada um é responsável por si. A única coisa que me aborrece são os sentimentos de inveja de quem se queixa, mas consegue sempre aquilo que quer, muitas vezes às custas dos outros e sem nunca deixar de querer. Seja o que for. Desde que seja algo que o outro possua… dizem «eu quero»!

Aborrece-me. Mas já comprei um incenso contra a inveja. Portanto, é deixá-los roerem-se.
 
 

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

You will meet a tall dark stranger.


imagem retirada DAQUI


this is so Woody Allen!
giro, leve, profundo, complexo, simples... adorámos! não foi?


terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

estudar, estudar. e estudar!


desta vez, o regulamento de futsal. sim, porque sou delegada de uma cA-TEAM e preciso de saber coisas como «lei da vantagem» e afins. ou então não! vou perguntando aos jogadores o que se está a passar.


e também: a estratégia do Benfica para a marcação de cantos. e este desenho foi feito durante o jogo Benfica-Nacional, após duas tentativas de explicação por parte do Sinhor Inginheiro. isto só com desenhos. e mesmo assim... já nem me lembro bem qual dos «X»  é o Saviola ou o Salvio. ou será o Gaitan? raios!