os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







sexta-feira, 17 de junho de 2011

da minha experiência vertiginosa - esta «doença» só me dá para dançar

ah! a consulta de otorrino. apresentar os resultados dos exames que me desorientaram a vida durante a semana passada.

«oh dr. eu fiquei ainda pior com os exames...»
resposta: «pois, pode acontecer»
e eu: «mas alguém me poderia ter avisado para essa possibilidade, parecia-me mais honesto...»
resposta: «pois, mas isso depende de pessoa para pessoa».

Yeah right. obrigada pelo respeito pela direito à informação. então e os exames, perguntam vocês!
ao que parece ojóvidos estão OK e a capacidade auditiva não foi afectada. e o zumbido, quando passa, dr.? a resposta foi clara: «nunca vai passar». e o que significa isso, perguntam vocês. significa viver 24h por dia com um motor a trabalhar nos ouvidos. um zzzuuum zuuuummm contínuo.

numa destas noites acordei. ouvi o zuuum zuuum. pensei: ah é a arca congeladora [que está na divisão ao lado]. e depois lembrei-me: JOANA! é o zuuum zuuum do teu ouvido. é a rádio acufeno, a rádio do ouvido interno que, pelos vistos, veio para ficar.

conselho do otorrino: ter cuidado com a utilização do computador. pois. como fazer isso se tenho que trabalhar 7h por dia em frente a um computador? e não me venham dizer que não o deveria ligar em casa, pois em casa eu também trabalho. [ok agora estou aqui a blogar, mas isso faz parte de mim. processem-me, vá, quero ver]

portanto, se conhecerem algum trabalho (o ideal seria um emprego) que NÃO implique o uso contínuo de um computador, avisem. digamos que estou no mercado de trabalho, em busca de uma nova oportunidade para a minha vertigem.

e agora, perguntam vocês.
agora estou em busca de alternativas: óculos com lentes mais escuras, para usar no trabalho. mudança do posto de comando cá de casa, para o quarto (onde consigo usufruir de luz natural). vou dedicar-me ao pilates e procurar segundas e terceiras opiniões. e voltar às agulhas, caso sinta necessidade disso.

isto não mata, nem dói. incomoda. incapacita (quando a crise é mais intensa). mas pode viver-se com isto!



2 comentários:

Clairvoyant disse...

Assim de repente ocorre-me a estiva. Já nem na caixa do supermercado te safas sem um pczito onde enterrar o nariz. Ou então, procura um sitio onde dê muito jeito ter um PC para trabalhar, mas que não seja imprescindível. Geralmente nesses sitios nunca chegará a informática, pelo menos em Portugal.

lady.bug disse...

vou dedicar-me à agricultura!