os textos aqui apresentados são redigidos em desacordo com o Acordo Ortográfico #AO90







quinta-feira, 9 de junho de 2011

da minha experiência vertiginosa - continuação

e quando tudo estava calmo, sem vertigens, apenas com alguns zumbidos (acufenos), eis que chega o dia de fazer os exames no piso de audiofonologia.
pouco sabia dos exames, pois pouco me contaram acerca dos mesmos: a minha mãe lembra-se de estar numa cadeira onde tinha que fixar pontos luminosos e que a vertigem era provocada com água.
pois bem, lá fui, acompanhada (conforme sugeriam as instruções) e aguardei na sala.
os exames demoraram 1h30m, quase 2h. foi todo um estimular do ouvido interno, do princípio ao fim. parece-me que não perdi audição (aspecto positivo) e até aguentei bem os exames. afinal, estava «fora da crise» há cerca de uma semana, a trabalhar, a conduzir e a recuperar a minha vida. tinha até ido ao cinema dois dias antes e a prova do foco de luz tinha sido superada.
saí do exame com boa disposição e fui trabalhar. cheguei a casa meio «azambuada». resolvi não ir ao ginásio, pois os estímulos já tinham sido muitos. dormi bem.
no dia seguinte fui trabalhar. não estava grande coisa: uma sensação de pressão na cabeça. que foi descendo, descendo e se acumulou nos ouvidos. até isso acontecer, trabalhei, saí, fui às compras e dirigi-me para a manicure. a meio, disse à Guida: despacha-me o mais rápido que conseguires, pois eu não vos posso nem ouvir.
os ouvidos iam explodir: era a noção que tinha.
fui para a casa e deitei-me. o meu objectivo era evitar nova crise. e para isso tinha que evitar ruídos, luzes e gente à minha volta. voltei a ficar em casa, pois apesar de não ter vertigens, o som dos acufenos nos meus ouvidos tornaram-se insuportáveis.

enfim. estava bem, a recuperar o dia a dia e com os exames dei 2 ou 3 passos para trás. por acaso fui fazê-los fora da crise, pois imagino que em plena crise deva ser horroroso. não era suposto o médico avisar? não é suposto que no SAMS nos informem, no momento da marcação, que é conveniente estar estabilizado para fazer este tipo de exames?
não deveriam avisar que nas horas a seguir aos exames era conveninente descansar? não sei se teria sido diferente, caso tivesse ficado em casa o resto do dia. mas certamente iria combater a pressão na cabeça e nos ouvidos (que aliviou bastante com repouso e a fórmula CSE: cama, silêncio e escuridão).


lancei este apelo no facebook:

«gostaria de saber se há por aí mais alguém com sintomas vertiginosos, acufenos e diagnósticos de méniere.

sobretudo, gostaria de saber qual o impacto que isto tem nas vossas vidas, quais as fórmulas para superar as crises e quais as alternativas que conhecem à mediciona convencional (que dá poucas respostas).»

deixo-o aqui no blog.

Sem comentários: